sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Tentou de tudo, mas já nada lhe restava. Tinha perdido o Norte, tinha perdido aquela batalha. Fechou os olhos, cerrou os lábios e, mais uma vez, tentou seguir em frente e sorriu. Tentou olhar as coisas da mesma forma, falar do mesmo modo e agir como sempre agiu. Achou-se capaz de passar por cima da vida! Que poder esse, o de passar por cima da vida! Já o teve, já o conseguiu com a maior facilidade. Mas os dias eram outros, e a vida, essa, era outra também. Talvez fosse mais fácil, ou talvez não. A derrota estava escrita nos seus olhos que fixavam o horizonte, na ânsia de alcançar uma resposta, ou um milagre. Já não chorava, tinha chorado de mais. E talvez fosse melhor assim, o mundo não está para os fracos e as coisas não mudam com lágrimas. De alguma maneira, sabia que tinha chegado a hora de se impor. De alguma maneira, os dias seriam diferentes e a vida, essa, encarada de outra forma.

Sem comentários:

Enviar um comentário