segunda-feira, 16 de maio de 2011

Lado B!

Esta gente assusta-me um bocado, às vezes! Juro que tenho medo quando pessoas deste tipo passam por mim e,ainda mais, quando se sentam, exactamente, na mesa à minha frente, na esplanada, enquanto me delicio com o meu B! de maracujá.
Sabem quando, só de olhar, vos dá arrepios? É, exactamente, isso. E provoca-me medo. São daquele tipo de pessoas que têm "imprevisível" escrito na testa e tu nunca sabes o que é que podes esperar. Não, não têm, necessariamente, mau aspecto. São só rudes, broncos e, ligeiramente, limitados pelo tipo de conversa que emanam daquele lado. Acontece-me sempre que quase "rezo" para que passem rápido e sigam o seu caminho, mas sempre: pimbaaaa, ficam mesmo aqui enfiados na minha frente! É que se, ao menos, desse para ignorar era mais fácil, mas não, é impossível. Óptimo! Já partiram para outro "spot". Espero que bem longe daqui, porque até o cheiro a suor metia dó e eu juro que não sou do tipo mesquinha, esquisita ou "mete-nojo", sou apenas realista e observadora. Por esses mesmos motivos, vejo-me obrigada a falar nisto. É superior à minha própria vontade.
Nunca quis ser só mais uma, sempre ansiei transcender o comum do mortal, sempre quis que houvesse uma "luz", chamemos-lhe assim, a iluminar-me para estar sempre um bocadinho à frente, para que pudesse calar-me com as minhas coisas e ficar do lado de fora do mundo só a falar dele.
Não tomo tal atitude como egoísta, bem pelo contrário. Até a acho bastante útil para a humanidade, em geral! Quantas vezes não ouvimos que quem está fora de alguma situação é que a entende realmente e não está manipulada por quaisquer acontecimentos ou ligações emocionais, podendo comentá-la livremente e em toda a sua essência?! Quantas vezes não pedimos a opinião de alguém que nada tem que ver com o assunto só para que nos ilumine?! Sinceramente? Eu acredito nisso. Fora dos problemas somos mais realistas e objectivos! É o que eu faço. Mantenho-me no camarote e sou livre no pensamento.
Às vezes, sabe bem  ficar no lado B da vida.

1 comentário: